31 agosto, 2008

O que é Amor? Caros leitores...


Alguns leitores de minhas crônicas vieram “criticar”-me quanto à forma de como eu vejo o amor. Adoro os meus críticos. Sério mesmo. Estava conversando via MSN com Suelen, uma leitora e por que não crítica. Eu perguntei o que ela tinha achado dos ups meu blog, e ela disse que adorou uma das minhas crônicas (a de religião). Então perguntei do que ela achava do texto homo andróides. Ela disse que tinha uma opinião diferente do que é o amor (que por sinal é onde Breno também discordou de mim). Ela disse que o amor não era imortal. Retruquei dizendo que não achava o amor imortal e sim eterno. Ela disse que poderia se amar mais de uma pessoa e concordei com ela neste ponto. Ela disse também que você pode se apaixonar por quem você quiser. E que o amor pode acabar. Eu disse, mas se acabar não é amor. E onde chegamos... A outra dúvida. Ela disse que o amor existe, mas que podia acabar e apenas falei o amor não existe ele surge. A idéia de Homo Andróides era inicialmente criticar a banalização do amor que não é mais verdadeiro como o amor de outrora. Ela não tinha parado ainda pra pensar no amor como uma criação humana. Eu sempre vi o amor como uma criação. O amor é um ideal de nossa sociedade que é “sexualista”. Mas o que é o amor­­­? Ele existe? Ele surge? É um ideal? É uma farsa? De fato eu não sei o que é o amor. Ninguém sabe. Apenas fingimos saber, ou o contemplamos. Uma frase me deixa fascinado quanto ao amor: “Existe alguma coisa mais parecida com o Amor, do que a Morte?” que foi proferida numa minissérie de sucesso chamada “A presença de Anita”. O amor é um mistério, mesmo pra quem ama ou diz amar. O mais complexo dos sentimentos, talvez seja mais uma das criações humanas.Tantas vezes foi tentada uma descrição para esse sentimento. Mas por que foi criado, não quer dizer que ele não exista. Pelo menos na minha forma de pensar, o amor é uma “criação” eterna, que surge e é um ideal, numa sociedade (como eu tenho raiva desta) que finge amar visto que, nem todos amam de verdade apenas banalizam o “eu te amo” por que parece belo (logo o amor também pode ser uma farsa). No mais amem de verdade.


P.S: Grato não só aos críticos e mas aos que lêem e concordam como o caso da Gabriela (não conheço-a), do Júlio, da Pati, da Aline, do Yan entre tantos outros.


Gilberto Junior

2 comentários:

Palavra de Mulher disse...

Nossa..sem palavras!

eu te amo..kkkk...

=P

Julio Melo disse...

não achava o amor imortal e sim eterno
o amor não existe ele surge
O amor é um mistério, mesmo pra quem ama ou diz amar.


mermão, cada dia mais me impressiono com teus textos, parabns, valeu tambm sou grato

é isso cara, vamos amar velho, ou pelo menos tentar, sei lá se é invenção, só sei q já amei mto, ou nem sei se foi amor, porem, foi verdadeiro......

abraço