28 maio, 2008

Traduções em mim II


Sou uma aberração, um esquisito
como você disse o que seria
Sobrevivo dos ecos do seu coração
com a sensação de que pertenço a um lugar
então mantenha-se respirando
pois sem estar com você,
é como se cada dia da minha vida se apagasse
Minhas pernas desabam
porque preciso de você
Você faz tudo clarear
mas ainda lembro que me fez chorar!
além disso me acalmas!
peço para ir pra casa
eu só quero é viver
eu não me importo se você não se importa
sou como uma falsa árvore de plástico
a qual você roubou o soltrocando heróis por fantasmas
tudo isso por você!
eu cometerei erros novamente!
tudo isto, por você!

2 comentários:

PatríciaRossiter disse...

Lindo!
;**

Mimaaaa! disse...

Cara, mt lindo isso. Você é um poeta disfarçado e não um psicólogo frustrado!!!!

Bj