12 setembro, 2008

O Assalto


É verdade, caros leitores, entrei para a triste e enorme lista de assaltos no Recife. Ontem voltava da faculdade e vim andando como sempre fazia. Vi um cara mal encarado e atravessei à avenida, ele veio atrás dizendo que queria celular e carteira. Eu calmamente disse que estava sem celular e ele com a mão para trás fingindo ter uma arma dizia passa o celular e carteira, já com um tom de voz alterado. Nervoso, acabei “escapando” e dei apenas o meu “querido” V3. Dias depois do assalto, mais calmo, lembrei-me do pedinte. Não o de semanas atrás (também me lembrei dele), mas, do pedinte cego que adentrou no ônibus da volta do trabalho no mesmo dia. Tal pedinte trabalhava (mesmo sendo cego). Pedia ajuda para que as pessoas comprassem as pastilhas que custavam 0,50 centavos e disso ele tirava uma “merreca” no fim pra comprar os colírios de seus olhos. Já o meliante o qual me abordou se é que posso ou quero chamá-lo assim não tinha nem minha idade (embora não fosse tão novinho) e condições perfeitas para o trabalho, o que me dá mais ódio. Dois dias depois, passo pelo mesmo local desta vez de ônibus voltando do jogo. O mesmo estava lá tentando fazer novas vítimas. O que fazer­? Mandar “apagá-lo”? Dar um “corretivo” nele? Pensei seriamente nestas duas decisões. Convenceram-me de que apagá-lo não ia trazer meu V3 de volta. E Que espancando ele só ia trazer uma revolta pra ele, mas que ele não ia parar (se bem que essas duas opções me tirariam pelo menos um pouco a idéia de impunidade). O que fazer então?! É, já tentei mudar o mundo... Por fim cheguei à seguinte conclusão: O mundo está perdido. Não há solução. O jeito é me conformar ou tentar (sou conformista assumido). Comprar outro celular pra chegada de um outro “dono” e levar o suor de meus pais e por que não o meu, e também fazer parte desta sociedade (como tenho raiva ao ouvir tal palavra), em que até os que a comandam não prestam. Olho nestas eleições. Não vamos mudar o mundo, mas podemos melhorar. E quando, penso nestes safados lembro-me do ceguinho, da senhora que achou minha carteira e devolveu e volto a me iludir no que chamei de “Sociedade Futurista Sem Futuro”. Pra não esquecer, o conformismo é um mal...Mas já estou “conformado” com isso.

2 comentários:

Julio Melo disse...

rapaz, esse mundo ta foda mermo
tambm me assaltaram semana passada,
tambm levaram meu celular, não era um V3 mas tinha minha vida lá,
e ae velho o q fazer??
já deixei de pensar em uma solução
apenas Educação, amigo...


educação e condiçoes.....

Mimaaaa! disse...

Minino...
Que texto maravilhoso!!!!!
Se tds as vezes que houvessem incidentes como esse as pessoas dissertassem sobre já teríamos ganho um prêmio Nobel de Literatura...
Ah!!! Lamento pelo celular e pelo constrangimento,
deve ser um negócio extremamente chatoO!!!
XeruU