27 dezembro, 2008

Feliz Natal?!



Este Natal foi um tanto quanto diferente dos Natais de outrora. Não fiquei ansioso, nem liguei pra falar a verdade. Este ano estou aguardando 2009 apenas por aguardar... Como se fosse apenas mais um ano, embora tenha certeza que vai ser muito diferente dos que já vivi. Terei responsabilidades... Mas voltando ao Natal, antes (muito antes mesmo) esperava o papai Noel com ansiedade. Arrumava meu quarto e colocava meus sapatinhos e meias na janela e tentava não dormir aguardando o bom velhinho. Sempre sem sucesso. Acordava com bons presentes na minha cama e os sapatinhos no lugar. Brincava sem a frustração de não ter conhecido o ser mais místico do Natal. Bate um saudosismo. Certo dia eu ganhei uma bicicleta de Natal e meu pai frio como sempre me quebrou o encanto e tornou real minha desconfiança da não existência do velho Noel. Meu pai chegou com a bicicleta eu abri a porta e perguntei por que papai Noel não havia esperado de Madrugada. Ele disse que quem havia comprado a bicicleta era ele. Não queria dar os méritos do seu suado trabalho para uma figura que nem existia. Apenas sorri. Bate um saudosismo desta época. Ou já mais velho quando não ganhava mais presentes de Natal, mas ficava ansioso para vestir minhas novas roupas na Ceia com a família. Ou até na época de nervosismo, na qual esperava o resultado da escola, mais exatamente o resultado da recuperação. Hoje não tenho esse tipo de preocupação. Cada vez menos ligo para o Natal. Pra falar a verdade gosto cada vez menos. Uma época capitalista, onde pessoas fingem receber um tal de espírito Natalino para serem boazinhas, por uma semana apenas. Depois voltam a realidade cruel e ninguém mais ajuda ninguém. Este Natal também foi diferente por uma besteira que senti falta... (Muita falta), minha mãe foi operada e não armamos a Árvore de Natal e nem o presépio. A casa ficou vazia, e a gata sem ter com o que brincar. Acho que a pobre da gata foi quem mais sentiu falta do Natal. Mas assim como as pessoas, ela também perdeu o encanto. Nem a ceia foi a mesma. Meu pai chegou atrasado, mas ainda sim foi o primeiro e com fome e já alterado por algumas doses de uísque, atacou o peru e o deixou sem coxas e asas (O que garantiu a piada do meu tio em chamar o peru de Peru aleijado). No fim das contas todo mundo jantou individualmente e não houve reza e nem ceia. O que pra mim era ainda podia ser o Natal, virou o encontro familiar do dia 25... mas já vale. Aguardo agora o Réveillon, onde todos fingem esquecer os problemas de 2008 e de 2009 que virão. Vou começar enchendo a cara de Sidra (A melhor parte da virada de ano). A todos um Feliz 2009 e boas festas por que não!


Um comentário:

Aline disse...

esse jeito verdadeiro que tu escreve, esse jeito de dizer as coisas que ningeum diz, de uma forma que ngm diz... que eu adoro tanto!
Boas Festas!

Lov u so much!